» En Galego
» In English
» Castellano

Dinastia Real Sueva do Reino de GaléciaDinastia Real Sueva
do Reino de Galécia


Conteúdos nesta seção:
» Uma Bandeira Histórica Galaica
» O Galliciense Regnum e a Casa Real Sueva
» Simbologia e usos desta Bandera Galaica

Visite também estas páginas:
» Reconstrução da Bandeira da Dinastia Real Sueva da Galécia
» Datas de Içado da Bandeira
» Bandeiras Galegas em seu computador
» Bandeira Galega (civil e de Estado)
» Bandeira do Reino Galego


Uma Bandera Histórica Galaica

O 15 de Fevereiro 1669 a Cátedra de Lugo apresentou um documento à Junta Geral do Reino da Galiza no que afirma que "(...) de aqui teve princípio e se originou apagar o dragão verde e o leão vermelho (armas dos Reis Suevos que em seu tempo tinham neste reino sua corte) e transladar ao dourado campo do escudo das duas armas, a Hóstia, não dentro do copo sacramental oculta (...)". Este documento foi recuperado em 1927 pelo historiador galego Pérez Constanti em seu livro "Notas Viejas Galicianas".

Tomando estas referências históricas apresentadas na Junta Geral do Reino da Galiza em 1669, reproduzimos uma bandeira moderna com campo ou fundo dourado sobre o que aparecem um dragão verde e um leão vermelho. A posição do dragão e do leão na bandeira se determinou de acordo com o uso comum e corrente na heráldica européia, ou seja, duas bestas em posição rampante enfrentadas a uma à outra.

A bandeira da Dinastia Sueva do Galliciense Regnum é um símbolo ideal para todo aquele interessado na história, a simbologia, ou na antiga identidade galaica. Esta bandeira é sobretudo um símbolo histórico que representa a todos os territórios da antiga Galécia: a atual Comunidade Autônoma da Galiza e o norte de Portugal.

» Ler o artigo da Reconstrução da Bandeira da Dinastia Real Sueva da Galécia



Ano 409: fundação do primeiro reino da história medieval européia: o Galliciense Regnum


Conselho de Estado: O rei Teodomiro e seus bispos Martinho, André e Lucrecio, I Concílio de Braga, ano 561
O Galliciense Regnum e a Casa Real Sueva

Entre os anos 407 e 410 chegam a Galécia vários milhares de germanos da tribo sueva e assinam com um debilitado Império Romano um tratado pelo qual assumem o controlo político deste território. O primeiro rei suevo, Hermerico, estabeleceu relações feudais com os chefes das diferentes tribos galaicas, convertendo-se no primeiro rei feudal da Europa Medieval, e seu reino, o Galliciense Regnum, no primeiro Estado europeu da história medieval.

Durante quase 200 anos, a Dinastia Real Sueva governou eficientemente o reino de Galécia, criando um sistema monetário nacional galaico, uma igreja nacional galaica, e uma política exterior de alianças estratégicas com Borgonha e Constantinopla, no Império Romano de Oriente. Durante o reinado da monarquia sueva se completou também a máxima expansão territorial histórica do Reino galaico, anexando novos territórios em parte da Hispania Bética, conquistando parte da Lusitânia, e saqueando as principais cidades da Hispania Tarraconensis.

A dinastia sueva perdeu a coroa do Galliciense Regnum quando o Rei Andeca de Galécia foi derrotado em batalha pelo rei visigodo Leovigildo no ano 585. Substituindo à Casa Real Sueva, a dinastia dos visigodos se converteu numa nova monarquia do Reino de Galécia, que seguiu mantendo sua estrutura institucional, como recorda o título do Rex visigodo Leovigildo, rei de “Gallaecia, Hispania et Narbonensis", ou a carta do Papa Gregório Magno ao posterior rei visigodo Recaredo, chamando-o "Rei dos Godos e dos Suevos”. A dinastia visigótica só governou o Reino de Galécia durante pouco máis de um século, já que se desintegrou politicamente com a invasão árabe de Hispania em 711.

Ligações de interesse:
» Fillos de Galicia > O Reino Galego dos Suevos
» Página personal > Los Suevos: El Reino de Galicia
» Galipédia > Cronoloxía dos monarcas da dinastía sueva do Galliciense Regnum
» Mapa de Europa > Reinos de Europa, ano 526




O exemplo escocês: supporters escoceses ondeando a bandeira real de Escócia junto à bandeira nacional escocesa nos partidos de suas equipas de futebol e de rugby
Simbologia e usos desta Bandeira Histórica

As bandeiras históricas se reproduzem em todos os países de Europa por diferentes motivos: decoração em festas folclóricas e festivais históricos, coleccionismo e uso pessoal, recuperação de simbologia e memória histórica, adicionar colorido a reuniões e eventos desportivos, etc...

A bandeira da Dinastia Sueva do Galliciense Regnum é um símbolo ideal para todo aquele interessado na história, a simbologia, ou na antiga identidade galaica. Esta bandeira é sobretudo um símbolo histórico que representa a todos os territórios da antiga Galécia: a atual Comunidade Autônoma da Galiza e o norte de Portugal.

Os animais rampantes representados na bandeira, o dragão e o leão, são dois animais poderosos que inspiram vitalismo, força, e respeito. Aparte da mencionada referência histórica da Junta Geral do Reino de 1669, estes animais também figuram na heráldica histórica galega bem como nas tradições e lendas populares galegas.

» Ler o artigo da Reconstrução da Bandeira da Dinastia Real Sueva da Galécia


Compre já sua bandeira!

» Medidas: 150 x 90 cm / Material: tela poliéster.

» Inclui dois anéis metálicos laterais para seu içado.

» Faça clique aquí para ver uma lista de pontos de venda onde comprar a bandeira...»

Voltar à Página Principal